Servidor de Arquivos (SAMBA)

Em computação, um servidor de arquivos é um computador conectado a uma rede que tem o objetivo principal de proporcionar um local para o armazenamento compartilhado de arquivos de computadores (como documentos, arquivos de som, fotografias, filmes, imagens, bases de dados, etc) que podem ser acessados pelo trabalho que estão ligados à rede de computadores. O Servidor seria a Máquina Principal enquanto as maquinas ligadas a elas são chamadas de cliente.


 

Software de compartilhamento de recursos: SAMBA

Com o software SAMBA é possível fazer o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows. Assim, é possível usar o Linux como servidor de arquivos, servidor de impressão, entre outros, como se a rede utilizasse servidores Windows (2008, 2012, 2016).

O que o servidor arquivos SAMBA faz?

Com o servidor SAMBA, é possível compartilhar arquivos, compartilhar impressoras e controlar o acesso a determinados recursos de rede com igual ou maior eficiência que servidores baseados em sistemas operacionais da Microsoft. Mas, neste caso, o sistema operacional utilizado é o Linux. O SAMBA é compatível com praticamente qualquer versão do Windows 7, 8, 10 e Server 2003, 2008, 2012, 2016, além de máquinas com o Linux e MacOSX, é claro.

O software SAMBA é totalmente provido de grande segurança, uma vez que há grande rigor nos controles dos recursos oferecidos. Tanto é que existem empresas que usam o SAMBA como solução para conflitos existentes entre diferentes versões do Windows.

Como não poderia deixar de ser, o SAMBA também permite que sua configuração seja feita por meio de computadores remotos. Para os casos mais críticos, o administrador da rede pode até ser notificado de anormalidades por e-mail .


Suporte à integração

  • Email: Zimbra, Postfix, Exchange.
  • Protocolos: FTP, DHCP, DNS
  • Integradores: VOIP ASTERISK, Chat Openfire
  • Softwares: Proxy Squid, VPN
  • Controle de acesso à impressoras

Novos recursos do SAMBA versão 4

→ Suporte ao Active Directory com serviços de logon em rede usado pelo Windows 2000 (2003 ,2008 etc)
→ Implementa um servidor LDAP e Kerberos Key Distribution Center (KDC),
→ Um sistema de logon parecido com o do Samba 3 por meio do CIFS.
→ Permite a configuração de grouppolicy (GPO)
→ A possibilidade de gerenciar o servidor via RSAT (Ferramentas de Administração de Servidor Remoto) da Microsoft
→ Há melhorias diversas no servidor de arquivos e no sistema de DNS, este que é uma parte integral do Active Directory.
→ NTP para fornece horário atualizado aos clientes Windows e uma interface de scripts em Python.


Segue abaixo as 20 razões porque eu uso o SAMBA 4 como servidor de Arquivos:

  1. É possível criar um AD Completo com SAMBA 4
  2. É possível criar um controlador de domínio Principal
  3. É possível criar um Controlador de domínio somente leitura (RODC)
  4. É possível criar um Controlador de domínio Adicional
  5. Pode ser administrado usando interface Gráfica do próprio Windows , como Usuários e computadores do Active Directory.
  6. Posso Migrar de forma fácil de AD Windows para um AD Linux e vice versa.
  7. É possível trabalhar com perfil móvel
  8. Trabalhar com Pasta Base
  9. Lixeira de Servidor de Arquivos (Tipo copia de Sombra)
  10. Auditoria de Acesso
  11. Trabalhar com permissões como a do Windows
  12. Trabalhar com GPO
  13. Fazer replicação de Servidores (TIPO DFS)
  14. Trabalhar com dados em camadas
  15. Triagem de Arquivos (Proibir gravação de arquivos pela extensão)
  16. É software Livre não precisa de licença
  17. Não precisa de CALs de acesso para as estações
  18. Fazer o SAMBA 4 trabalhar como controlador de domínio adicional do Windows server e vice versa.
  19. Já vem com DNS , kerberos, LDAP integrado.
  20. Integração do SAMBA 4 com o proxy Squid, pfSense e etc.

 
Ilustração de um típico ambiente contendo um servidor Linux rodando o software SAMBA 4:


 


Clique aqui e adquira hoje mesmo esta excelente solução de servidor de arquivos para sua empresa e fique livre de custos com “licenças” de software, sem contar com os problemas de vírus e segurança que outros sistemas operacionais proprietários possuem.